quinta-feira, março 11, 2004

Os "defensores da vida"

Os gajos do movimento em defesa da vida (pelo menos é assim que eles gostam de ser chamados), já chateiam! Hoje reparei que Lisboa acordou com alguns cartazes que anunciavam a "Festa do Bloco" vandalizados (é esta a palavra correcta). O cartaz tinha um recem nascido com o braço erguido, com a frase "a revolução ainda é uma criança", e os nomes de alguns grupos que iriam participar na festa. Isto ontem, porque hoje reparei em pelo menos três que tinham um papel por cima do nome dos grupos que dizia: "Tive sorte não fui abortado!". Esta questão ultrapassa orientações politicas, eu não sou apoiante do Bloco e escreveria a mesma coisa se se tratasse de um cartaz do PS, PSD, ou outro partido qualquer, o que importa referir é que acho inqualificavel que a "estrategia de marketing" desse movimento "pro-vida" passe por vandalizar pela calada da noite os cartazes dos outros. Já não é a primeira vez que tal acontece. Para alem de ser um acto cobarde, apenas deixa evidente que faltando argumentos validos para defender a sua causa, resta-lhes destruir os argumentos dos outros.